O evangelho da Graça – com o qual aprendemos que não merecemos o favor de Deus mas mesmo assim o recebemos – tem se tornado cada vez mais escasso. As Boas Novas do momento são: vc merece o melhor desta terra! Vc nasceu pra vencer! Tome posse de tudo o que vc merece! Visualise sua casa própria, seu carro zero… dê de oferta o dízimo do salário que vc quer ganhar… Maldito negociar…
O Evangelho tem sido a cada dia mais mercantilizado… Foi assim em Israel (sacerdotes que aproveitavam dos sacrifícios) foi assim nos tempos de Paulo, é assim em nossos dias e será assim até a volta de Jesus…
Isso não é um sentimento pessimista ou uma desesperança total… Mesmo que haja um grande avivamento e a igreja se arrependa da sua prostituição pecaminosa de tantas décadas (ou séculos, ou milênios) sempre existirão os que fazem da fé negócio e que ouvirão do Senhor: Nunca vos conheci…

Cursos de "Doutor em Teologia" por apenas X reais em tantos dias!
Entrevistas de emprego para se avaliar o perfil do candidado a pastor…
"Pastores" que precisam cumprir meta financeira, senão serão despedidos…


Onde está a Igreja que, como Jesus, não se importa em ter onde reclinar a cabeça?
A Igreja que não precisa de grandes templos e nem de CD gravado do seu ministério de Louvor para fazê-la conhecida?
Onde estão os servos que, como Eliseu, não aceitam presentes por terem sido usados por Deus?
Onde estão os adoradores que, como Davi, se arrependem profundamente do seu pecado e são chamados homens segundo o coração de Deus?
O fogo genuíno, aquele que arde de Amor pelo seu Noivo… Aquele que faz a Igreja sair das 4 paredes e buscar os perdidos… Aquele que queima o pecado e incendeia de paixão o coração… Aquele que faz o homem querer ser como Jesus, semelhante a Ele em todo o tempo, este, se perdeu… Surgiu um fogo estranho, que queima pela cobiça e pelo amor ao melhor desta Terra…

Fogo estranho tem estado no teu coração, Noiva…
Um fogo que não foi o Senhor que acendeu…

Que a Igreja retorne ao Caminho Antigo.
Que retorne à Palavra!
Que retorne para Deus!

Santidade ao Senhor!
Pr. Claudio Britto, servo